Quais são os cuidados após a cirurgia de varizes?

As varizes são temas recorrentes da sociedade moderna, principalmente para aqueles que passam muitas horas em pé ou sentados – o home office intensificou esta máxima, mas também surgirá àquelas pessoas com pré-disposição ou sedentárias.

Segundo estudos recentes, a doença atinge cerca de 70% dos brasileiros (em menor ou maior grau de intensidade). Muitas vezes aparecem nos membros inferiores como pernas, coxas e pés. Há incômodo estético e, em casos mais severos, atrapalham as caminhadas e causam coceira, só para citar alguns sintomas.

Entretanto, se seu médico sugerir intervenções, você saberia dizer: quais são os cuidados necessários após a cirurgia de varizes?

Explicaremos todos os detalhes e te deixaremos cientes sobre o pós-operatório.

É correto frisar que em grande parte destes procedimentos não há dor, pois a agressão à pele é mínima. Em quantidades pequenas ou em grau moderado, vale a pena a microcirurgia. Quando este número aumenta e verifica-se falha no retorno venoso do sangue, a cirurgia de varizes ou as técnicas de endolaser (método de obliteração ou mínima incisão na pele) e radiofrequência (cateter entra na veia doente para liberar o sangue) poderão ser mais eficientes.

Os cuidados irão variar, pois depende da quantidade de veias que o paciente vai retirar, quais veias serão operadas e qual técnica será utilizada pelo médico. Ressaltamos a seguir, os principais cuidados a serem adotados:

  • Colocar um travesseiro por baixo das pernas e elevá-las acima do nível de seu corpo;
  • Alimente-se a cada duas horas e faça suas necessidades sempre que tiver vontade;
  • Beba água. Certos remédios desidratam nosso corpo, então, pegue sua garrafinha e mate sua sede;
  • Um dia depois da cirurgia é possível banhar-se. Só evite esfregar no local onde a operação foi realizada;
  • Mantenha-se longe das grandes exposições solares por um mês. Passado este período, utilize protetor solar ao sair;
  • Seu médico pode sugerir medicamentos para ajudar na finalização do tratamento. Porém, em nenhuma hipótese medique-se sem o consentimento do mesmo. Isso pode ser extremamente danoso para sua saúde e recuperação;
  • A drenagem linfática NÃO é obrigatória e o cirurgião vai te orientar quanto ao tema;
  • Sua pele está lesionada? Espere a cicatrização completa para, só assim, depilar-se com cera fria ou lâmina. Caso não houver lesões, aguarde 30 dias.

Os curativos também serão de extrema importância para que a recuperação aconteça de forma segura e mais rapidamente. Abaixo, dicas sobre como proceder:

  • Se os curativos de micropore estiverem grudados em sua pele, NÃO MEXA. Substitua apenas os gaze com outra gaze limpa e micropore;
  • É comum que os hematomas continuem aumentando até o quarto dia depois da cirurgia. Sua redução começará na terceira semana;
  • O edema se mantém por até três meses após a cirurgia. Principalmente no local onde a veia safena foi retirada.

Quem já passou por este procedimento sabe a importância das meias elásticas, por isso:

  • Não deixe de usá-las. Serão aliadas fundamentais para o sucesso da cirurgia e da recuperação;
  • Peça instruções sobre como colocá-las para seu médico. Há uma forma correta para fazê-la;
  • Não se esqueça de vestir as meias elásticas ao se levantar e tirá-la quando for tomar banho e dormir;
  • Não vista outra meia entre a pele e a meia elástica. Isso dificultará a circulação do sangue pela perna;
  • Os dedos dos pés incharam? Retire a meia e coloque-a novamente;
  • Esqueceu de vestir as meias elásticas pela manhã? Faça um repouso e eleve suas pernas por, aproximadamente, dez minutos.

Sem o tratamento e o cuidado adequado, há uma porcentagem maior de agravamento. Estes podem vir de maneira amena, como quando o paciente sente dores ou desconforto, além de aparecerem manchas na pele. Outros riscos graves e severos, incluem: infecções, hemorragias, hematomas nas pernas, inchaço e áreas dormentes ou anestesiadas na pele.

Retornos devem ser agendados, para que o médico responsável pela operação acompanhe seu caso. Todas estas análises pós-cirúrgicas têm tanta importância quanto as pré-cirúrgicas.

E, por fim, analise que a recuperação completa varia de pessoa para pessoa. Em alguns casos, demoram dois meses, outros casos seis meses e há quem fique um ano neste processo. Paciência é a chave do sucesso por aqui!

Com tudo isso explicado minuciosamente, você deve ter percebido que os cuidados são básicos e demandam pouco tempo.

Ficou com dúvidas sobre o tema? Entre em contato e teremos prazer em ajudar! Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *