Categorias
Sem categoria

Terapia online: o que é

Se pudéssemos resumir o nosso mundo atual em uma única palavra, poderia ser precipitação. Toda a nossa vida gira ao redor de uma agenda lotada e cheia de prazos. Estamos sempre correndo, tudo tem que ser determinado o mais rápido possível não podemos dormir oito horas por noite porque atrasaremos nosso trabalho. Não fazemos exercícios físicos porque são uma “luxo”, coisa de quem tem folga sobrando. Não jantamos com nossas famílias porque o jogo vai passar logo e queremos assistir em nossos sofás. Não nos sujeitamos a relacionamentos de longo prazo porque a vida é curta e devemos aproveitá-la com o cúmulo de parceiros que conseguirmos.

Esse padrão de comportamento alicerçado na pressa, apesar de democrático, cria uma desconexão em nossas vidas. Tornamo-nos cada vez mais alheios às nossas próprias necessidades e ao mundo ao nosso redor. Dessa forma, favorecemos o desenvolvimento de condições como ansiedade, estresse, amolgação e outros transtornos, além da inaptidão de lidar com as duras realidades da vida, como desaparição de entes queridos e casos traumáticos em geral.

Por esses motivos, muitas pessoas não angariem lidar com suas emoções e condições de colorido, e buscam ajuda na terapia. A terapia é o conjunto de práticas com o objetivo de trazer saúde e consenso de vida à paciente o terapeuta utiliza de cumprimentos de compreensão, análise e interferência para ajudar o enfermo a enfrentar conflitos e escaramuçar com transtornos psíquicos, contribuindo para a consolidação da força mental. Através da terapia, nós nos conectamos com nossos “seu verdadeiros”, encontramos nossa essência e nos sentimos mais confiantes para mostrá-la para o mundo, melhoramos nossa criatividade, recuperamos nossa autoestima e amor-próprio e evoluímos em nossos relacionamentos.

Terapia online – o que é?

Convencionalmente, a terapia é realizada em consultórios, com uma interação entre paciente e terapeuta, em tempo real. no entanto, com o avanço das tecnologias, a internet se configura como um grande adutora para o tratamento terapêutico, através da terapia online. A terapia online é o contato à distância entre as profissionais da área e os doentes, com os mesmos metas da terapia presencial. a proposição dessa forma de exame é oferecer um disse-que-disse mais “acessível” de terapia para as pessoas, sem morte de qualidade. Atualmente, durem duas formas de terapia online: terapia síncrona e assíncrona a terapia síncrona é aquela em que paciente e clínico marcam um horário para conversarem online. Pode ser através de chamadas de vídeo no Skype ou outros aplicativos. É uma comunicação que acontece ao vivo, com ambos conectados a uma plataforma ao mesmo tempo.

A terapia assíncrona difere-se da síncrona porque nela a comunicação não é instantânea. o longânime pode se comunicar com o clínico através das plataformas em que ocasião precisar, e o médico responde assim que estiver disponível, ou em um dia ou hora preestabelecido. As terapias online são muito comuns em países como estados Unidos, Canadá e suíça; e um estudo executado pela Universidade de Zurique, na Suíça, e universalidade de Leipzig, na Alemanha, mostrou que as psicoterapias conduzidas através da internet podem ser tão benéficas quanto as realizadas da forma tradicional, e muitas vezes até mais.

Se você deseja experimentar essa forma de tratamento, uma aliada é o Oriente. A Oriente é uma empresa brasileira que trabalha com terapia online assíncrona para enfermos com mais de 18 anos, possibilitando ao paciente o abraço com o terapeuta especializado através de mensagens de artigo, áudio, imagem ou vídeo, pelo smartphone ou computador. O profissional responde o paciente, no mínimo, uma vez por dia de auxilia a sexta.

FONTE: https://g1.globo.com/

FONTE: https://www.r7.com/

FONTE: https://www.terra.com.br/noticias/

FONTE: https://noticias.uol.com.br/

Categorias
Sem categoria

O que é terapia

O intuito da terapia é abrigar problemas emocionais, comportamentais e psicológicos. No tratamento, a ajuda o paciente a meditar sobre seus problemas, encontrando novos meios de laborar com eles. Com isso, o indivíduo pode promover mudanças profundas no seu modo de dispor, e melhorar sua vida significativamente.

De forma equivocada, muitas indivíduos ainda acreditam que a terapia é voltada apenas para o passadio de “loucos”. Além de aguentar preconceito, essa afirmação indica falta de conhecimento sobre o tema. nas veras, o tratamento terapêutico é um excelente meio de compreender nossos sentimentos e comportamentos enquanto seres sociais que somos.

Autoconhecimento

Um dos benefícios da terapia é dar ao paciente a capacidade de compreender melhor a si bem, bem como sua ética e objetivos pessoais. A terapia permite que a pessoa possa dominar e administrar melhor os seu sentimentos. No tratamento terapêutico, o autoconhecimento é estimulado na afinidade de falhas contínuas na vida da pessoa. Desse modo, ela fica mais preparada para lidar com idéias negativas e emoções adversas. O autoconhecimento ainda professa o fortalecimento da autoestima.

Ajuda a encontrar motivação

A motivação funciona como um alor para atingir um destino. Parte sempre de adentro da pessoa e, sem ela, torna-se extremamente difícil conquistar um objetivo pessoal ou profissional. a falta de motivação pode estar relacionada à , dentre outros problemas.

O suporte profissional em uma terapia ajuda a levar à tona o que origina a falta de motivação do paciente. um indivíduo desmotivada tem problemas recorrentes na sua vida particular e profissional, já que se lobriga inibida a executar certas ações. Por meio de abordada, pode-se ajudar o paciente a impulsionar seus próprios motivos.

Melhora os relacionamentos interpessoais

Para ter uma vida plena e satisfatória é assaz importante saber se registar bem com o próximo. As relações interpessoais arquitetem parte do cotidiano do ser humanal e podem ser observadas em interações do dia a dia, como as estabelecidas no ambiente de atividade com colegas, em casa com a família ou no contato com amigos. A terapia promove o desenvolvimento de habilidades sociais com a intenção de melhorar os arrolamentos interpessoais. O tratamento é útil para os que têm dificuldades em se relacionar com outras pessoas, o que consequentemente evita o isolamento social. O é um meio de caracterizar a fonte das complicações do paciente e ajudá-lo a lidar melhor com aquilo que lhe gera desconforto. A terapia tem grande importância pelo fato de entregar à pessoa um novo examinar sobre uma preocupação recorrente dela, de modo a guiá-la para uma solução.

Um psicologista pode ser um excelente aliado para lhe ajudar a resolver problemas variados que parecem não ter desfecho. Isso envolve questões como amolgação, ansiedade, e fobias diversas. Acreditar nos benefícios da terapia já é um grande passo para quem busca mais qualidade de vida e quer escapar com a saúde  em dia.

Para mais informações: Acesse terapia Santa Luzia

FONTE: https://g1.globo.com/

FONTE: https://www.r7.com/

FONTE: https://www.terra.com.br/noticias/

FONTE: https://noticias.uol.com.br/

Categorias
Sem categoria

Acrofobia (O medo das alturas): Você é Acrofóbico?

Voce tem medo de altura? Você entra em pânico quando percebe que está bem no chão? Você teme a ideia de participar de uma reunião em um andar alto de um prédio de escritórios? Você fecha os olhos quando os passeios panorâmicos de carro envolvem altitudes mais elevadas? O simples fato de subir em uma escada reforça o conhecimento de que você tem medo de altura? Você pode ter acrofobia ou medo de altura, um transtorno de ansiedade que afeta cerca de 5% da população.

A definição de acrofobia é, simplesmente, uma fobia de altura. Aqueles que sofrem de acrofobia – a palavra vem da palavra grega para altura, que é “acron” e da palavra grega para medo, que é “fobos” – normalmente não gostam de passeios a parques de diversões se envolverem rodas-gigantes e montanhas-russas. Por causa de sua fobia de altura, as pessoas com acrofobia também podem relutar em subir em colinas altas e algumas podem achar estressante estar em uma escada rolante ou em um elevador de vidro. Pessoas com medo de altura podem até evitar passar por cima de pontes, pois isso pode causar tontura. Essa fobia de altura pode desencadear sintomas desagradáveis ​​que fazem com que as pessoas com acrofobia evitem totalmente a possibilidade de situações em grandes altitudes.

Infelizmente, essa evasão pode interferir na qualidade de vida. Isso não é uma boa notícia para as mulheres, nas quais a acrofobia é duas vezes mais comum do que nos homens. Você pode atrasar os reparos domésticos porque tem medo de subir uma escada. Você pode experimentar um estresse debilitante por ter sido designado para um quarto de hotel em um andar alto. Você pode até evitar pátios ou trilhas nas montanhas. Sua acrofobia pode afetar negativamente seu estilo de vida.

Sintomas de Acrofobia

Algumas pessoas usam a palavra “vertigem” para descrever seu medo de altura, mas a vertigem, ou a sensação desagradável de girar, é apenas um sintoma da acrofobia. Outros sintomas podem incluir:

  • Sentindo a necessidade de rastejar de quatro, ajoelhar-se ou descer imediatamente quando estiver bem longe do solo
  • Tremendo
  • Suando
  • Sentindo-se apavorado ou paralisado
  • Sentindo palpitações cardíacas
  • Chorando ou gritando
  • Um ataque de pânico totalmente desenvolvido com falta de ar
  • Dores de cabeça e tonturas quando você está muito longe do solo

Causas da Acrofobia

O medo de altura pode resultar do nosso medo natural de cair e ser ferido. Ficar pensando na dor que pode ser causada por uma queda de um lugar alto também pode contribuir para o desenvolvimento da acrofobia. É normal que as pessoas tenham alguma relutância em estar em lugares altos, mas para aqueles com acrofobia, o medo é irreal e excessivo. A acrofobia, como todas as fobias, parece ser uma hiper-reação da resposta normal de medo. Alguns especialistas acreditam que esta pode ser uma resposta aprendida a uma queda anterior ou à reação nervosa dos pais às alturas.

Opções de tratamento

A boa notícia é que com tempo e dedicação a acrofobia pode ser superada. Um dos principais tratamentos para a acrofobia é a terapia cognitivo-comportamental (TCC). Com essa forma de terapia, técnicas comportamentais que expõem o indivíduo à situação temida – no caso, alturas e lugares altos – são empregadas. Essas técnicas comportamentais podem ser usadas de forma gradual ou rápida, e o paciente é ensinado como parar a reação de pânico e como recuperar o controle de suas emoções. Embora a exposição real a alturas também seja um tratamento para a acrofobia, algumas pesquisas mostram que a realidade virtual pode ser tão eficaz quanto. 1A realidade virtual economiza dinheiro e tempo, embora não esteja prontamente disponível em todos os lugares. Ainda assim, à medida que o preço dos equipamentos de realidade virtual cai, essa forma de tratamento pode se tornar mais fácil de acessar com o tempo.

Quanto aos medicamentos, às vezes betabloqueadores ou sedativos podem ser usados ​​para alívio de curto prazo, pois podem aliviar o pânico e a ansiedade. A droga, D-cicloserina, tem sido estudada desde 2008 em ensaios clínicos para transtorno de ansiedade, e algumas pesquisas indicam que o uso de D-cicloserina com TCC pode produzir resultados melhores do que a droga ou a TCC sozinha. No entanto, uma vez que uma meta-análise que combinou os resultados de muitos estudos questionou a utilidade desse medicamento, parece que mais pesquisas são necessárias. 2

Passos da ação

Aprenda tudo que puder . Eduque-se sobre a acrofobia e veja as opções de tratamento que podem ajudá-lo a controlar seu medo de altura. A acrofobia é diferente de outras fobias porque, se você tiver um ataque de pânico enquanto estiver em um lugar alto, poderá fazer um movimento inseguro que, na verdade, pode ser perigoso. Portanto, certifique-se de receber tratamento para sua acrofobia, especialmente se estar em lugares altos faz parte da rotina de sua vida.

Relaxar! Técnicas de relaxamento, incluindo meditação, ioga, respiração profunda e relaxamento muscular progressivo, podem ajudar o indivíduo a lidar com o estresse e a ansiedade. Fazer exercícios regularmente também pode ser útil no tratamento da acrofobia.

Obtenha suporte. Converse com seu médico sobre quais medicamentos e terapias podem ajudá-lo. Se o seu médico não estiver familiarizado com a acrofobia, peça encaminhamento a um profissional de saúde mental que possa ajudar. Não tenha vergonha de contar a seus amigos e família sobre sua fobia de altura e peça o apoio deles enquanto você recebe tratamento para o problema. Lembre-se de que você não está sozinho. Milhões de americanos sofrem de acrofobia, mas é muito tratável. Com ajuda e suporte, você pode começar a gerenciar sua fobia de altura e seguir em frente com sua vida.