Categorias
Sem categoria

Cirurgia Plastica de Mama


A mastopexia é uma cirurgia que tem como objetivo diminuir o caimento natural dos seios (ptose mamária), reposicionando a aréola e a pele com flacidez, elevando as mamas até sua posição original, garantindo harmonia

A mastopexia está indicada para mulheres que apresentam flacidez e caimento das mamas em função do envelhecimento, maior variedade do peso ou amamentação.

– A cirurgia pode ser efetuada com implante de silicone nos seios ou não, dependendo da quantidade de tecido mamário. “Existem casos em que a mama está com ambiente vazios, que precisam ser preenchidos pelo silicone para que seja devolvida a firmeza e a sustentar explica o cirurgião plástico Alexandre Kataoka, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “Com a idade, o tecido mamário atrofia, ou seja, vai diminuindo, isso é o que causa este problema”.

– Nos casos em que não é necessário o uso de próteses de silicone, é feita a retirada do exagero de pele e o reposicionamento do tecido mamário para dar um novo contorno à mama. Em alguns casos, o cirurgião também retira gorduras ou glândulas a fim de dar aos seios um bom formato.

– As incisões normalmente são realizadas ao redor da região dos mamilos, podendo estender-se em uma linha vertical ao sair da aréola em direção à base do seio ou ainda para um formato de T invertido, dependendo da a quantia de pele que será retirada.



Além dos Exames necessários antes de qualquer cirurgia (hemograma completo e avaliação da coagulação do sangue), é indicado que seja feita a avaliação da mama através dos exames de ultrassom e mamografia. Esses exames são feitos com o objetivo de descobrir possíveis danos ou alterações nas mamas, como cistos ou nódulos.

“Na maioria das vezes servem apenas como histórico, não sendo necessária a retirada dos cistos”, explica a cirurgiã plástica Maria Carolina Coutinho, membro ou congregado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “Essa conduta é importante para saber que aquele nódulo ou cisto não apareceu por conta da cirurgia (por uma cicatriz interna, por exemplo), o que pode dificultar constatação de tumores mamários futuros”.

No começo a movimentação dos braços de apoio. é limitada, pois quando esses membros são movimentados, a musculatura e, em resultado a mama também se mexe. A paciente não deve elevar os braços acima do nível dos ombros por duas semanas.



Ele deve ser evitado no pós-operatório da cirurgia. O ideal é que o paciente abandone de vez o hábito, mas, se não for possível, que fique pelo menos um mês sem fumar. O cigarro complica a microcirculação de corrente sanguínea. no local da cirurgia, penalizando a cicatrização. O resultado pode ser uma cicatriz indesejável e até a formação de queloides.

Está recomendado o repouso de 15 dias, em seguida, se não houver qualquer problema, a paciente pode voltar ao trabalho. É preciso esperar 21 dias até que seja possível dirigir Outra vez Exercícios leves, como a caminhada, podem ser feitos depois de um mês, sempre com uma roupa própria para atividade física e que dê suporte adequado para que os seios não balancem.

Convém esperar dois meses para a realização de exercícios intensidade como a musculação. Também é importante evitar relações sexuais por pelo menos duas semanas após a cirurgia. Esses cuidados diminuem alguns riscos: “Nos primeiros 15 dias existe a chance de abertura dos pontos, a partir daí o risco é de extensão da cicatriz com resultado estético insatisfatório”, explica Maria Carolina. “Há casos de ocorrência de hematomas mais tardios, mesmo após 15 dias, se a paciente fizer esforço intenso”.


Mamoplastia: Saiba Mais : Conheça tipos de cirurgia plastica que modela as mama